sexta-feira, janeiro 30, 2009

Bruno Aleixo de regresso

No primeiro episódio de uma saga completamente nova, Bruno Aleixo visita Ribeiro, o seu amigo médico sem nada na cabeça e põe a nu as graves falhas do nosso sistema de saúde e denuncia algo que os médicos não querem que ninguém saiba: qualquer remédio é bom para a saúde desde que seja um xarope para a tosse bem docinho!





Um beijinho para a Ana por esta engraçadíssima sugestão. Já agora, se um dia tiveres um gabinete apertadinho, não te esqueças de desligar o aquecedor e de me trazeres todos os dias um garrafo de xarope para a tosse bem docinho.

Sugestão de cinema

Faintheart
May the Norse be With You



Site oficial: http://www.myspace.com/faintheartthemovie

PS - Peço desculpa aos leitores pela minha ausência dos últimos tempos mas, pelo menos até ao final da semana que vem, a sobrecarga de trabalho a isso obriga.

terça-feira, janeiro 27, 2009

NP

Para compensar o post da Sete Luas que por ser tão 'grande' teve de ser reencaminhado para o blog porcalhoto (David dixit), aqui fica a edição de Janeiro, um pouco atrasada, da recentíssima National Pornographic, edição Gêres.





segunda-feira, janeiro 26, 2009

Pesquisas do Katano

Enquanto não termino e publico o artigo sobre o mistério de quem terá afinal descoberto os Açores e enquanto a Sete_Luas não publica o artigo que vai em definitivo esclarecer se há ou não abacaxis na Madeira e a quem efectivamente pertence o arquipélago (se ao Alberto João ou se aos portugueses), aproveito para lançar aqui novamente a fantástica rubrica de Pesquisas do Katano. Esta é a rubrica com mais sucesso junto dos leitores do Blog do Katano, sobretudo daqueles que pertencem ao segmento dos profissionais do ramo de mecânica automóvel e com idades entre os 60 e os 62 anos.

Assim, os termos de pesquisa mais sui generis que trouxeram leitores a este blog nas últimas semanas foram:


Como se faz a pirataria


Eis um indicador da crise económica que atravessamos actualmente, associada à crescente taxa de desemprego da população, factores que levam os cidadãos a procurarem enveredar por actividades laborais alternativas.

Caro(a) amigo(a), para enveredar pelo ramo da pirataria só concebo duas hipóteses. A primeira alternativa passa por adquirir uma embarcação em leasing, contraíndo para o efeito um empréstimo a 480 mensalidades, e indo praticar a pirataria marítima ali ao largo da Costa de Peniche usando como instrumento de persuasão uma arma de fogo de baixo custo, produto que pode facilmente ser adquirido em qualquer bairro social da região de Lisboa.

Em alternativa pode enviar o CV para a Direcção Geral de Impostos, anexando-o a uma carta de motivação, para candidatura a um cargo de inspector das Finanças.


Veja Jesus

Quem quer ver Jesus vem ao Blog do Katano. Toda a gente sabe disso. Há no entanto efeitos díspares como o daquela dona de casa que, num intervalo do "Você na TV", visitou o Blog e viu o Elvis e outro leitor ainda que jurou ter visto o cadáver de Jimmy Hoffa numa das fotos com neve tiradas pelo Xamane.


Tudosobrepenis

Pois... não sei... quer dizer... Será que alguém se baralhou ou será que isto afinal quer dizer que o Blog do Katano é um blog... do baralho?


teu pai eh o google

Google, o pai dos motores de busca, é afinal também pai de alguns cibernautas. Eu já tinha ouvido gente mais ou menos célebre afirmar perante as câmaras que a sua paternidade se dividia entre o Pinto da Costa e o Vítor Baía mas atribuir a paternidade ao Google é algo completamente diferente. Identificado o pai, subsiste no entanto a dúvida quanto à identidade da mãe. Será a Wikipédia ou a Britannica?

sexta-feira, janeiro 23, 2009

Só mais uma inesquecível recordação...

Estava aqui a revirar o arquivo do Katano quando encontrei um fantástico vídeo, já com alguns anitos, e que marcou e de que maneira o período em que Bush e Blair (o tal a quem Carlos Carvalhas se referiu pouco simpaticamente como "aquela avestruz", em plena sessão parlamentar).

Como assim, "qual vídeo?"? Este vídeo, evidententemente:




quinta-feira, janeiro 22, 2009

Adiós señor Bush!

A investidura de Barack Obama como 44º Presidente dos EUA pode não marcar o início da tal "Idade de Ouro" que muitos apregoam mas assinala sem dúvida um facto significativo: o fim do mandato do 43º presidente e, apenas isso, já é um motivo de profundo regozijo.

A grande dúvida que para já se coloca ao mandato de Obama é, pelo menos para mim que nos últimos tempos só tenho tido acesso ao que de melhor há na imprensa portuguesa, saber se os progenitores do futuro cão do presidente dos EUA , de nome Coral e Kai, conseguem ou não acasalar no local secreto onde se encontram actualmente, algures no Algarve, apenas conhecido pelos tratadores, vizinhos e toda a equipa jornalística do Correio da Manhã. Tudo aponta para que sim até porque, embora não se tenha observado o acto, há relatos de que 'hoje [ontem] estavam muito cansados (...) vieram a arfar e com a língua de fora'. Aqui no Blog do Katano estamos literalmente em pulgas para saber se a Coral engravidou ou não.

Voltando aos factos felizes, no caso do fim do mandato do 43º presidente, George W. Bush assumiu definitivamente o estatuto de pior presidente da história dos EUA, saíndo do poder com a mais baixa taxa de aprovação da história por parte dos seus eleitores: 24% e uma aprovação internacional resumida a meia dúzia de fervorosos humoristas com falta de imaginação. Testemunhei aliás um sintoma dessa baixa popularidade internacional de Bush quando, há quase 3 anos atrás, dois primos meus, residentes em França, com cerca de 6 e 8 anos respectivamente, cantarolavam uma música cuja letra era algo como "Não gosto do sr. George Bush, (ele) deveria trocar uma lâmpada sob o chuveiro".

Contudo, pela profícua quantidade de momentos inesquecíveis de boa disposição com que Bush brindou o Mundo, sinto-me obrigado a dedicar um tributo a esta incomparável figura.




Começo por um cartoon fantástico da autoria do Luís e que foi um dos poucos e-mails que reencaminhei nos últimos anos e termino com duas compilações que encontrei no Youtube, sendo uma delas o Top Ten dos melhores momentos de Bush por David Letterman.











"Adiós Senõr Bush" - Hugo Chavez

O nevão em Castelo Novo

Depois de ontem assistir à neve a cair em Castelo Branco, imaginava uma Serra da Gardunha vestida de branco quando regressasse no final do dia ao Fundão. Saindo de Castelo Branco já depois do pôr do sol, quando cheguei à zona da Gardunha pouca luz natural restava para tirar uma foto do anfiteatro de Castelo Novo. A opção foi fazer semi-nocturnos durante 15 minutos, o tempo que o frio me concedeu até deixar de conseguir articular os dedos indicador e polegar da mão esquerda, sinal claro para regressar então, até porque a minha indumentária era tudo menos adequada para o grauzito que se registava.

Fica o nevão, do outro lado da serra.



quarta-feira, janeiro 21, 2009

Anatomia I

Esta minha posta vai ser muito breve e a frase que vou escrever de seguida é para ser lida em êxtase:
"A Aninhas acabou Anatomia I!!!!!!!!!!!"

Após tanta luta não podiamos deixar passar em branco este acontecimento. Além disso, acho que tive um papel fundamental neste sucesso. Passei grande parte da noite de passagem de ano a "recitar" apontamentos de Anatomia. Parecendo que não...aquilo foi entrando no ouvido.
Aliás, acho que qualquer um dos presentes naquela noite está agora devidamente habilitado a fazer um exame desta disciplina.

Certo?!...
Parabéns bomb(...)!!
Agora seguem-se Anatomia II e III. Traz-me esses apontamentos!

terça-feira, janeiro 20, 2009

Katano breaking news - Neve no Fundão


Nesta imagem obtida há poucos instantes é possível ver o nevão que neste momento cai sobre o Fundão. Foi impressionante a forma como se abateu sobre a cidade vindo da Gardunha como se deslizasse como um banco de nevoeiro pela serra abaixo.

segunda-feira, janeiro 19, 2009

Montmorency

Nos últimos seis anos tenho visitado regularmente a França, zona de Paris, alguns anos duas vezes, outros apenas uma. Desde o início destas visitas regulares com curtas estadias de uma semana, que um local me cativou especialmente, aliás dois, mas um, apesar de mais banal que o outro, tem resistido melhor à passagem do tempo e das visitas regulares, talvez porque me dê algo de diferente de cada vez que recebe uma visita minha… a floresta de Montmorency.

Quando visitei pela primeira vez floresta de Montmorency, a primeira impressão com que fiquei foi a de estar a entrar num conto dos irmãos Grimm ou de Washington Irving com o seu cavaleiro sem cabeça fazendo-me sentir qual Ichabod Crane. Sem ilusões, a floresta não tem nada do outro mundo, mas parece! Pelo menos para mim.
As duas fotos que se seguem ilustram o mesmo local no Inverno e no Verão.

Com um pouco de atenção ouve-se o trote do cavalo do cavaleiro sem cabeça a aproximar-se no meio do nevoeiro.


Novamente no universo de Irving, a raiz de onde todas as noites sai o cavaleiro sem cabeça.

Esta floresta é um exemplo da comunhão da natureza com o homem tendo em conta o meio em que se insere. A poucos kms de milhões de pessoas, abraçando os subúrbios de Paris, consegue manter a sua ilusão de isolamento e distanciamento. Certo, é visitada por 5 milhões de pessoas anualmente, mas não é por isso que andamos a tropeçar nelas nos variadíssimos percursos pedestres que possui. Faz parte da sua magia conseguir engolir a multidão que a visita diariamente.

Aspecto nocturno da orla da floresta...

...e do interior.


É essencialmente uma floresta de castanheiros e alguns carvalhos. Tal como era a Cova da Beira até à um século atrás.



Château de la Chasse, pequeno palacete que os reis utilizavam aquando das suas caçadas.

Algumas fotos mais.





EPSON Iniciativa de Biodiversidade da Gardunha / Gardunha biodiversity iniciative

Como o Diário XXI e, subsequentemente, o Pedaços de Alcongosta já haviam noticiado, a EPSON escolheu a Serra da Gardunha para lançar um projecto de reflorestação e biodiversidade que irá, para já e se tudo correr como esperado, recuperar cerca de 20 hectares de floresta na vertente Oeste da Serra da Gardunha, concretamente na zona de Souto da Casa. Este projecto surge integrado num plano da EPSON que visa reduzir as emissões de CO2 da empresa em 90% até 2050:

Epson, the leader in imaging technology, is launching an ambitious initiative to help restore the biodiversity in Serra da Gardunha, Fundão, Central Portugal. Epson will work with local partners to restore the areas scenery and wildlife, all of which were devastated by the severe forest fires of 2003 and 2005. The Epson Gardunha Biodiversity Initiative forms part of Epsons Environmental Vision 2050: a wide ranging environmental commitment that also includes reducing the companys entire CO2 emissions by 90% by 2050.

A concretizar-se (tantas promessas de reflorestação falhadas conferem toda a legitimidade à dúvida), é sem dúvida uma excelente notícia para uma serra que, especialmente em 2003 e
2005, foi duramente martirizada pelos incêndios.

Por sugestão do
Marco, aqui fica o vídeo oficial da EPSON sobre a iniciativa, no qual é protagonista a nossa muito querida Tia Maria "Pêras", artesã, poeta e contadora de histórias, uma emblemática habitante de Vale d'Urso.


quinta-feira, janeiro 15, 2009

E agora algo completamente novo, ou talvez não!!!

Muito bem, camarada Caetano, já és uma figura pública, já estás a aparecer na TV, agora tens de manter o low profile...

PS 1. Assim como quem não quer a coisa e tal, pediste o nº telemóvel á menina, bem gira, he he

PS 2. Ana, calma, que o David agora já é famoso...

Quem descobriu os Açores, os portugueses ou... os fenícios?


"uma estátua de pedra posta sobre uma laje, que era um homem em cima de um cavalo em osso, e o homem vestido de uma capa de bedém, sem barrete, com uma mão na crina do cavalo, e o braço direito estendido, e os dedos da mão encolhidos, salvo o dedo segundo, a que os latinos chamam índex, com que apontava contra o poente."

É com estas palavras que Damião de Góis descreve em 1567 na sua Crónica do Príncipe D.João uma misteriosa estátua encontrada na ilha mais a Ocidente do arquipélago dos Açores, a Ilha do Corvo, no séc XV e que terá sido destruída numa tentativa de a trazer para o Continente.

Pegando neste relato e juntando-lhe as moedas cartaginesas e um estranho medalhão também aqui descobertos, tal como uma misteriosa inscrição monumental numa rocha, o historiador Joaquim Fernandes defende no seu romance "O Cavaleiro da Ilha do Corvo" que o arquipélago dos Açores terá sido descoberto, não pelos portugueses, mas sim pelos fenícios ou pelos cartagineses.

É acerca deste tema que dedicarei a próxima série de artigos aqui no blog.

fotografia do Olhar Geracional

quarta-feira, janeiro 14, 2009

A felicidade exige valentia...

Há poucos dias, recebi na minha caixa de email uma mensagem que tinha no assunto qualquer coisa como "Pensamento do dia".
A verdade é que nem sempre ligo a estes contactos mas o que li teve um efeito qualquer em mim. Muitos já conhecerão, mas partilho para os restantes...

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes mas não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo e só eu posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas. Um dia hei-de construir um castelo.
Fernando Pessoa

"Um monte de sarilhos"

Cautela com os amores; Pensem duas vezes antes de casar com um muçulmano...É meterem-se num monte de sarilhos. Nem Alá sabe onde acabam...


Depois do Cristiano Ronaldo durante dias (1º porque partiu um Ferrarri cujo valor o obriga a trabalhar durante três dias e depois porque ganhou um prémio que vai enriquecer bastante a conta da D. Dolores) seguem-se agora as declarações mais polémicas do momento: D. José Policarpo e a sua demonstração de intolerância com outras comunidades.

Todos sabemos a distância que separa a cultura católica da islâmica mas é inconcebivel (parece-me...) que sejam proferidas declarações xenófobas por um indivíduo que lidera uma instituição num país que cada vez mais é multicultural e que recebe (independentemente de bem ou mal) muitos emigrantes, e muitos deles muçulmanos.

Acredito que somos um país em mudança, em evolução de mentalidade, com o olhar posto nas relações do futuro, mas temos ainda um caminho vastissímo a percorrer. E depois, quando tentamos realmente ser tolerantes e viver em comunidade, demonstrando que estamos dispostos a mudar, eis que somos surpreendidos por declarações como estas, ditas por alguém que parece ter parado no tempo.

Foi mesmo uma questão que me chocou e serviu para começar o dia a reflectir sobre as diferenças dos povos mas a igualdade e sobretudo o respeito que devemos todos ter, uns para com os outros, e cada um na sua individualidade e diferença.

Já que se fala de jornalismo...vamos a Penha Garcia





No passado dia 8 de Janeiro a aldeia de Penha Garcia foi alvo de uma pequena reportagem no programa Nós Por Cá, dando-se destaque na peça ao insólito que é existir um tanque de guerra num jardim público e cujo canhão, inocentemente (?) está apontado a Monsanto.

A Ana já me tinha falado dessa reportagem mas, por falta de tempo e oportunidade, ainda não tinha ido dar uma vista de olhos. Contudo, o Por Terras do Rei Wamba do meu caro Joaquim, atento como sempre, chamou em definitivo a minha atenção para a dita reportagem ao apontar o dedo a algumas incorrecções (chamemos-lhe assim) na introdução que nela é feita à localidade.

De facto, logo a abrir a peça, o jornalista faz uma verdadeira "entrada a pés juntos" à História de Portugal referindo com total tranquilidade que a localidade foi doada à Ordem dos Templários por D.Dinis em... 1510! A partir daí, a reportagem centra-se em definitivo no peculiar adorno do jardim a partir de um banco feito com um canhão retirado do castelo, Infelizmente, a verdadeira bomba já havia sido largada pois, em 1510 quem reinava já não era, curiosamente, o Rei Lavrador mas sim D. Manuel I, O Venturoso. Entretanto já o caminho marítimo para a Índia e o Brasil haviam sido descobertos, não por D.Afonso Henriques como alguns poderão erradamente pensar, mas por Vasco da Gama e Pedro Álvares Cabral, respectivamente.


A explicação oficial para o lapso

Fiquei obviamente preocupado pois, na sociedade actual que liga mais ao áudio e ao vídeo que aos livros, a televisão deveria assumir a responsabilidade de ser um veículo de informação e cultura (não estou a contar com a TVI, senhores) ou de, pelo menos, não induzir as pessoas em erro quanto, neste caso, à História de Portugal.

Indignado, escrevi um mail ao programa, chamando a atenção para o lapso e salientando que, apesar da distância a que Penha Garcia se encontra de Lisboa, nem na Idade Média as notícias da morte de D.Dinis demorariam quase 200 anos a chegar a esta aldeia.

Na volta, recebi uma resposta do próprio jornalista que, como justificação para o lapso que, segundo ele, foi detectado logo após a emissão da peça, referiu que no texto inicial havia duas datas relevantes: a da doação propriamente dita da localidade por D.Dinis aos Templários e uma outra, essa sim de 1510, referente ao Foral Novo atribuído por D.Manuel I. Contudo, por imperativos de redução do tempo da peça, o texto foi sendo cortado até que os dois eventos se misturaram na forma que acabou depois por ser difundida na televisão.

Seja como for, todo este caso é trivial tendo em conta os problemas que actualmente afectam Portugal e o Mundo, tais como a Recessão e o conflito na faixa de Gaza. Pessoalmente estou curiosíssimo para saber que medidas é que o General Junot, a partir do seu palacete na Rua do Alecrim, pretende tomar para combater o défice em Portugal. Quanto ao conflito na faixa de Gaza, espero que o presidente dos EUA, o Sr Thomas Jefferson, saiba usar do seu estatuto para levar as partes ao entendimento.

terça-feira, janeiro 13, 2009

Serviço Público

A notícia de abertura de todos os noticiários foi hoje aquilo que já todos adivinhavam desde há muito tempo: Cristiano Ronaldo, o atleta metrossexual mais famoso do planeta, foi eleito melhor jogador do Mundo pela FIFA.

Na RTP1, passada a profusão de imagens onde, mais uma vez, as "Ronaldas" mereceram o seu habitual quinhão de mediatismo (bem merecido porque, afinal, uma tem uma loja de roupas e a outra diz que canta), o telejornal prosseguiu para um tema preocupante: o isolamento a que estão ainda votadas por causa do nevão do fim-de-semana, algumas aldeias, colocando especial enfoque em Carvalho de Rei, uma aldeia do concelho de Amarante, onde o próprio presidente da Junta em veículo TT assegurou o transporte dos habitantes.

Subitamente, a reportagem é interrompida para voltar à Suiça pois, atentai portugueses, Cristiano Ronaldo preparava-se para prestar declarações ao país. Então, de voz embargada e com a eloquência que o caracteriza, Ronaldo afirmou ao microfone da RTP1 que estava muito contente, que era o dia mais feliz da vida dele, que queria dedicar o prémio à família e aos amigos e que, para além disso, estava muito contente e era o dia mais feliz da vida dele.

No regresso ao estúdio, o anúncio de uma notícia que daí a pouco iria ser transmitida, relacionada com a tomada de posse de Barack Obama: o quase presidente dos EUA estava indeciso quanto ao cão a levar para a Casa Branca mas havia excelente possibilidades de a escolha vir a recair num exemplar de Cão de Água português. Portugal em grande, portanto, na política internacional.

Passado algum tempo, lá voltavam as desinteressantes notícias sobre o isolamento de algumas localidades onde a população continuava sem ter acesso a medicamentos, médicos, alimentos essenciais e as crianças sem poderem ir à escola. Boring...

segunda-feira, janeiro 12, 2009

Mais um dia fantástico na Repartição de Finanças nº620

Admitido novamente ao estatuto de contribuinte não devedor e procurando aproveitar a magnífica benesse, magnanimamente oferecida aos Trabalhadores Independentes pelo Ministro das Finanças, desloquei-me na semana passada, após longa ausência, à Repartição de Finanças nº620 para saber o que tinha de entregar para solicitar o reembolso da coima de não entrega da declaração anual de IVA (que essa sim, tinham feito questão de me avisar para pagar).

Chegado ao local e tendo encostado o pancips ao balcão, olhei em volta. À minha esquerda, o belo exemplar de funcionário público mestre na arte das técnicas de atendimento, trabalhava no seu habitual registo, dando sermão a um contribuinte, certamente castigando-o pelo trabalho que ele tinha ousado ir ali dar-lhe. À direita, duas funcionárias discutiam com outro contribuinte a temática do momento, especificamente o drama das bocas de incêndio congeladas.

Ali fiquei cerca de 5 minutos até que uma outra funcionária, que até então tinha estado sentada na sua secretária, resolveu levantar-se e vir atender-me. Contudo, o seu percurso em direcção ao balcão foi por demais sofredor, como se a distância fosse a suficiente para, em caso de excessiva velocidade, desfalecer a meio do percurso por desidratação.

Tendo-lhe explicado o que pretendia, levantou lânguidamente a mão apontando para uma das suas colegas que discutiam a temática do frio, referindo com ar grave que o assunto em questão teria de ser resolvido por aquela colega especificamente.

Procurando sossegá-la nas suas preocupações disse-lhe para não se preocupar pois eu não me importava de esperar mais um bocado enquanto a colega conversava com aquele senhor. Esta frase teve algum efeito nela pois não arredou pé dali, embora não me tenha dirigido mais a palavra, enquanto a colega não deu por terminada a conversa com o contribuinte.

Finalmente esclarecido (eu teria apenas de entregar um requerimento, anexando-lhe prova de pagamento e entrega de declarações), compus o texto do referido documento com um gosto invulgar tendo passado hoje pelo balcão da Repartição nº620 para o entregar, juntamente com os anexos necessários tendo sido curiosamente atendido pela mesma funcionária.

Tendo saído das instalações da Repartição nº620 após a entrega da documentção, não pude deixar de controlar um movimento impulsivo que me levou a bater com a palma da mão na testa, pois constatei subitamente que me havia esquecido de referir que perdoava ao Estado eventuais juros de mora. Tudo em prol da retoma da Nação, claro!

Pateticamente, o meu último parágrafo, estropiado dessa ideia fundamental, apenas consistia no seguinte texto:

"Lamento contudo que esta situação tenha resultado da falta de informação, sendo que, ao balcão da Repartição de Finanças do Fundão, apenas me foi comunicada a obrigatoriedade da entrega das declarações trimestrais de IVA. Um lapso lamentável mas que, tendo em conta que se trata de uma repartição onde há quem atenda os contribuintes de palito na boca e responda a questões relativas a legislação sobre IRS com um esclarecedor "o artigo diz o que lá está escrito" (SIC), não será de todo incompreensível."

O Priorado do Cifrão

Adoro ir a uma livraria, mesmo que não tenha intenção de comprar um livro. Cruzar aquela porta, junto à qual pouso momentaneamente todas as preocupações, é com fazer uma viagem instantânea a um universo completamente diferente, cheio de personagens e histórias à espera de serem folheados. Contudo (lá está!) um dos maiores riscos de se estar dentro de uma livraria é o de cair na tentação de comprar um livro.

Anteontem caí novamente em tentação e comprei o último livro de João de Aguiar intitulado sugestivamente de "O Priorado do Cifrão" e editado pela Porto Editora.

Esta compra não foi, apesar de tudo, tão inesperada assim uma vez que, há já algum tempo, queria comprar este romance escrito por um autor que admiro particularmente e a quem pertence também a autoria de excelentes obras de ficção histórica como "Uma deusa na bruma" e "A hora de Sertório".

"O Priorado do Cifrão" é uma obra de ironia e satirização do conhecido "Código da Vinci" e, ao mesmo tempo, um thriller que começa também ele numa misteriosa morte num museu:

"Em Londres, na sala do Museu Britânico onde está exposto o Estandarte de Ur, foi encontrado morto Sir Alastair Hopkins-Smith, um conhecido académico inglês. O corpo estava numa estranha posição, com o polegar da mão direita metido na boca, como se estivesse a chuchar no dedo.

Paralelamente, há outras ocorrências: o desaparecimento misterioso, na Áustria, de outro académico, o Prof. Heinrich Loewe; e a morte, num acidente de viação suspeito, de um escritor português, Alfredo Estria, um velhote excêntrico que escreve e publica obras de cunho esotérico.

Há algo de comum nos três homens: todos eles se preparavam para atacar violentamente um livro que acaba de ser lançado nos Estados Unidos e promete ser um êxito mundial, o romance The Caravaggio Papers, de Ben Browning, que, através de um suspense bem urdido, passa a mensagem de que, na sua origem, a doutrina cristã era de tipo orgiástico…

The Caravaggio Papers foi publicado por um grande grupo editorial de origem americana, a Thoth International, que detém uma editora portuguesa, a Codex 3, onde trabalha Miguel, o jovem protagonista deste romance."



Aqui fica a apresentação do livro pelo próprio João Aguiar.






sexta-feira, janeiro 09, 2009

Pesquisas do Katano

De volta à habitual rubrica de pesquisas que trouxeram visitantes a este blog, é fascinante a diversidade e originalidade dos assuntos que se procuram na Internet. Contudo, pela sua ... peculiaridade, saliento aqui duas pesquisas:


Blog instruções loja chinês

Trata-se seguramente de alguém que, procurando fugir à crise abrindo o seu próprio negócio e não sendo propriamente um adepto do ramo hortícola que recentemente aqui foi divulgado, decidiu apostar numa loja chinesa. Agora, o que me intriga é mesmo o facto de procurar instruções sobre como montar a loja chinesa quando toda a gente sabe que se deve procurar amontoar prateleiras e caixotes de forma a maximizar o espaço e depois rechear o conjunto com produtos que, preferencialmente, não tenham a referência "CE". Se também não contiverem instruções em português, melhor ainda!



Top dos tops:

Tudo sobre pênis cheiros


Perante esta pesquisa, foi o melhor comentário que se arranjou...

quinta-feira, janeiro 08, 2009

Arte culinária do Katano

A última passagem de ano, que como todos se recordam contou com um segundo de tempo a mais, ficou marcada por um opíparo jantar em casa do Xamane que, numa excelente medida financeira, contratou o cozinheiro mais financeiramente acessível que encontrou.

Apesar do precioso auxílio do Danilo, que se revelou um exímio mestre remexedor de chili, e do próprio Xamane e da Ana, que manipularam com uma invulgar mestria uma espécie de pasta semelhante a arroz, foi ainda assim quase impossível evitar que o jantar fizesse literalmente jus à expressão "jantar de passagem de ano".

A demora na confecção do jantar permitiu contudo ao referido cozinheiro soltar a sua criatividade, numa oportuna manobra de diversão, e pegando num abacaxi qual escultor pega num bloco jeitoso de mármore, de imediato ali improvisou uma criatura que dividiu as opiniões quanto ao seu paralelo no Reino Animal.

Independentemente disso, para todos os que não se importarem de construir um centro de mesa diferente, ainda que isso signifique sacrificar um abacaxi e uma banana, o Blog do Katano apresenta aqui o manual ilustrado da construção de um bicho híbrido:








Instantâneos da autoria do Danilo e da Bandinha, claro!

quarta-feira, janeiro 07, 2009

Empresa hortícola procura colaboradores

Numa altura em que o Exmo Sr Primeiro Ministro, Engº José Sócrates, dá o dito por não dito e afinal o ano de 2009 não vai ser um ano de retoma mas sim um ano calamitoso para a economia nacional, estamos a assistir a uma escalada da taxa de desemprego de contornos bastante preocupantes.

Todos os dias somos bombardeados com notícias de encerramentos de empresas, layoff e, como consequência directa, com o aumento do número de desempregados em Portugal. Bom... não tanto assim se tivermos em conta as originais estatísticas que o Governo vai apresentando e que são provavelmente obtidas nas mesmas fontes que, em qualquer greve, insistem de forma quase obsessiva em cortar os valores de adesão apontados pelos sindicatos em cerca de dois terços.... ou um zero. Há mesmo aquelas que relativamente às projecções sindicais insistem mesmo em cortar dois terços depois de ter cortado um zero aos números. Seja como for, não é este o tema deste artigo.

Em meio a este cenário negro é, apesar de tudo, possível encontrar ainda algumas ofertas interessantes como a que o Luís, um verdadeiro detective da Rede, encontrou e partilhou connosco.

Trata-se de uma empresa do ramo hortícola, com algumas lojas já em operação, que vende todo o tipo de acessórios para o cultivo de plantas tanto de interior como de exterior e que procura "colaboradores em: Lisboa, Coimbra, Leiria, Aveiro, Albufeira, Guarda, Beja, Viseu, Évora, Setubal e onde for preciso!".

Quem gostar da área e estiver interessado poderá encontrar o site da empresa clicando no link que se encontra aqui. Recomendamos a visita! Pessoalmente achamos que o vizinho referido pelo condómino anónimo protagonista de um artigo recente poderá certamente ser um dos interessados.

terça-feira, janeiro 06, 2009

Até quando o martírio da Palestina?


A entrada do novo ano ficou marcada de forma trágica para a população palestiniana da faixa de Gaza que, já martirizada pelo seu isolamento e consequente carência de bens de primeira necessidade, viu a sua situação agravada pelos ataques israelitas de retaliação aos rockets lançados pelo Hamas a partir do território palestiniano.

Não querendo rotular nenhuma das partes de boa ou má, o contexto histórico e a sucessão de violações de parte a parte não o permitem, o certo é que o Hamas (que não devemos confundir com a Palestina) pôs-se ingenuamente em posição de sofrer a ofensiva israelita ao violar o cessar-fogo que a própria organização havia proposto a Israel em 2006, aquando da sua chegada ao poder. Uma curiosa contradição se tivermos em conta que a própria base da fundação do Hamas é a aniquilação de Israel, país que o partido árabe, estatutariamente não reconhece.

O que o Hamas não esperava era a violência da reacção israelita que, cansado de ver o seu território atacado de forma insistente, parece ter decidido de uma vez por todas decapitar a organização árabe para assegurar de forma duradoura a segurança e o seu direito à auto-determinação.

Se numa primeira fase o Hamas anunciou que Israel ia enfrentar uma enorme resistência, parece agora evidente que, desde o primeiro momento a estratégia da suposta resistência passava apenas por usar a população palestina como escudo humano para desse modo levar a comunidade internacional e a opinião pública a fazer desistir Israel como acontecera no Líbano. Por outro lado, este género de organizações (chamem o que quiserem a uma organização cujo propósito é a aniquilação de um país e que recebe fundos, entre outros, do Irão e da Síria, estados beneméritos de orientação bem conhecida) apregoa a luta armada e o sacrifício mas acaba por colocar sempre os civis na linha da frente, vivendo depois numa mentalidade de constante vitimização para justificar tudo e mais alguma coisa.

Veremos até onde irá o sofrimento de uma população no limite, metida num conflito que apenas serve o interesse de outros e que serviu, até agora, apenas para causar carnificina e para mostrar ao Mundo que as Nações Unidas são apenas uma organização fantoche regida pelos interesses de 3 ou 4 países que controlam o Conselho de Segurança.

domingo, janeiro 04, 2009

Combustíveis mais baratos na Internet


A Direcção Geral de Energia e Geologia disponibilizou finalmente um serviço que há já algum tempo era assegurado de forma voluntária pelos webmaster do site MaisGasolina, como aliás aqui foi oportunamente referido em Maio de 2008. A justificação é a que se segue:

Com a publicação do Decreto-Lei n.º 243/2008, de 18 de Dezembro e do despacho n.º 32631/2008 do Director-Geral de Energia e Geologia da mesma data, passou a estar disponível, nesta página, informação actualizada sobre um sub-conjunto de postos de abastecimento de combustíveis para veículos rodoviários, prestada a título facultativo.

De acordo com os prazos definidos na lei, a partir de 16 de Fevereiro de 2009, a página deverá contar com uma informação completa e actualizada, com um carácter obrigatório.

Assim, no site da DGEG, cujo endereço é curiosamente www.dgge.pt, é possível procurar pelos preços de combustíveis mais baratos em cada concelho mediante a escolha desse concelho num mapa, em primeiro lugar, e aplicação de critérios de pesquisa em seguida.

Contudo, nós aqui no Blog do Katano estamos em condições de acrescentar a todos os dados do site da DGEG (cujo endereço é curiosamente www.dgge.pt) que o combustível ao melhor preço ainda pode ser encontrado em Espanha.

Entretanto, ficamos a aguardar pelo cumprimento da lei no que à afixação da informação relativa aos preços dos combustíveis nas auto-estradas diz respeito.

sexta-feira, janeiro 02, 2009

Droga de vizinho...

As relações entre vizinhos constituem o paradigma de um equilíbrio que pode ser extremamente sensível, alternando entre o simples acto de pedir uma chávena de açúcar e o bater de uma vassoura no tecto com uma facilidade impressionante. Sei também de um caso em que um certo e determinado vizinho foi bater a uma certa e determinada porta, de uma certa e determinada fraternidade, empunhando uma faca do mato e não se coibindo de salientar que tinha tido um papel activo na Guerra do Ultramar...

As situações de conflito são, por vezes, motivadas por casos tão insólitos, que surgem dúvidas sobre haver ou não motivo para reclamação e também é por vezes algo constrangedor saber como abordar um vizinho para fazer essa mesma reclamação.

Cito como exemplo o caso dos meus vizinhos do andar situado por cima do meu, nos saudosos tempos da Rua da Cale, que alternavam com uma velocidade incompreensível entre um verdadeiro arraial de pancadaria e uma quente sessão de expressão de amor (um pouco como o que se refere aqui), durante a qual a senhora invocava todos os santos do panteão da Cristandade (aliás creio que ela só mudava o registo na altura em chamava pela sua mãe quando atingia o clímax).

Claro que o meu vizinho de baixo, na mesma época, notoriamente um admirador da obra de John le Carré e Ian Fleming, também era uma verdadeira personagem.

O caso que a seguir apresento, gentilmente enviado pelo camarada Varela, é contudo um pouco diferente. Trata-se de um testemunho de um condómino descontente, obtido no fórum de um portal de gestão de condomínios, e merece ser lido, tanto pela razão da queixa como pelas respostas que ela gerou no fórum.

"Boa tarde,

Venho aqui para questionar o seguinte:

Moro num 6º andar, e todos os dias à noite, depois do jantar, sinto o cheiro a ganza. Por vezes abro a porta da varanda, e lá vem ele - o cheiro do chamom. O meu vizinho de baixo tem este ritual - asseguir ao jantar, vai para a varanda drogar-se

Será que posso fazer alguma coisa contra isto?

É que tenho receio de também ficar drogado.

Obrigado e bom ano para todos

Um excelente ano de 2009 para todos

Como não podia deixar de ser, feita que está a revista do ano 2008, um verdadeiro ano do katano como o referiu o camarada Wolverine23, desejamos a todos os nossos colaboradores e leitores (praticantes de comentários ou não), um excelente ano de 2009.

Especialmente desejamos que o novo ano traga muita paz ao Médio Oriente, Direcção Geral de Impostos e Ministério da Educação.

Para começar o ano em beleza e, ao mesmo tempo, dar algumas guias de orientação aos supra-citados, deixamos aqui uma série de conselhos, cortesia do nosso amigo Bruno Aleixo na sua saudosa imagem 100% Ewok.



quinta-feira, janeiro 01, 2009

2008, um ano Do Katano, parte II

Julho

Começámos este por mês dando conta do assalto perpetrado por uma dupla de meliantes que, com todo o despudor, adentraram uma residência e furtaram uma posta de bacalhau e um par de peúgas.

Por falar em bacalhau, também o avistamento no Teixoso de um OVNI em forma de bacalhau luminoso foi aqui alvo de referência por duas vezes. O drama das IPO foi apenas o prelúdio para a revelação bombástica e em primeira mão que aqui fizemos do facto da fadista Amália Rodrigues ter, afinal, nascido no Fundão!

Enquanto a exposição Memórias do Vale continuava a tomar forma (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui), davamos oficialmente início ao serviço de RSS Feed do Katano assim como ao serviço de avaliação dos artigos.


Agosto

Finalmente os esforços dos últimos meses davam os seus frutos e a exposição Memórias do Vale confirmava-se como um estrondoso sucesso e um evento histórico. Todavia, os esforços e o trabalho que este evento exigiu levaram a uma quebra na publicação de artigos do blog.

Ainda assim, houve ainda tempo para falar sobre as viagens feitas em jeito de recompensa após a exposição e que nos levaram a um percurso de Alcântara (Espanha) a Marvão e, ponto alto dos passeios, ao Alto Minho.

O melhor relato do mês foi contudo aquele que o Xamane nos proporcionou sobre o seu encontro com um amigo íntimo de Van Gogh e Jimmy Hendrix.


Setembro

Em Setembro, a praga da criminalidade chegava a níveis nunca vistos antes neste país à beira mar plantados e, inclusive, ouviam-se relatos de banhistas a ser atacados por gangues de alforrecas. Augusto Cymbron, presidente da ANAREC, é que não estava para os ajustes e, sem esperar pelos resultados das acções de reacção das forças policiais, colocava em prática uma estratégia no mínimo original de combate ao banditismo.

Também neste mês era lançada outra discussão sobre a naturalidade de uma figura histórica: Gil Vicente, pai do teatro português, teria nascido ou estado no Fundão? Sem descanso, passámos de um ícone do teatro para um ícone ... das donas de casa e para a desmistificação de uma acusação sem fundamento: um mexicano qualquer escreveu uma cópia de "Depois de ti mais nada" 2 anos antes de Tony Carreira apenas para prejudicar o cantor português.

O tema de fundo dos artigos de Setembro acabou por ser o que, em 4 partes, foi dedicado aos mistérios do Triângulo das Bermudas e que, começando em Colombo e passando pelo desaparecido mítico vôo 19, apontou vários factos normalmente ignorados e procurou trazer luz a um dos mais propalados mitos contemporâneos.

Setembro tornou-se para este blog, e para o Xamane em particular, um sinónimo de jubilo, com o nascimento de uma aposta de futuro do Blog do Katano: a pequena Elisa!


Outubro

Embora tenha começado por ser dedicado à arte com uma magnífica concepção de um desenho de coruja subterrânea, este mês teve como prato forte o artigo de investigação sobre o esquema de burla da lotaria de Espanha, em que, pegando num suposto e-mail de aviso de vencedor de prémio, aproveitámos para saber como funcionava a burla em contactos sucessivos com o burlão.

Chegou também ao fim a série de artigos sobre o Triângulo das Bermudas, passando-se logo em seguida para a clarificação do mito do dígito suplementar do número do Bilhete de Identidade e terminando esta série "mata-mitos" com uma explicação para o facto de não haver prémio Nobel para a matemática.

O grande evento do mês, o III Encontro do Katano que decorreu entre o Fundão, Castelo Novo e Alcongosta, foi também alvo de um detalhado artigo, tal como o foi a mega-bronca da formação dos professores na obra-prima do choque tecnológico: o super-computador Magalhães!

A finalizar o mês tivemos direito aos artigos da Ana, a nossa enviada especial a Itália, que aqui descreveu o seu percurso entre Verona abordando o mito de Romeu e Julieta.



Novembro

O mês começou com a explicação de um mistério milenar e no entanto actual: o do porquê do peixe ser um símbolo cristão (ichtys).

Como não podia deixar de ser, o Blog do Katano associou-se ao mainstream da blogosfera e assinalou também a histórica vitória de Barack Obama nas presidenciais estado-unidenses, derrotando John McCain e a inesquecível Sarah Palin que não se coibiu de demonstrar o seu profundo sentimento de discriminação em relação às moscas da fruta durante a campanha.

O momento alto do mês, antes da II Edição da exposição "Memórias do Vale" em Souto da Casa, acabou por ser a inequívoca vitória do Blog do Katano no concurso Super Blog Awards, ao ser considerado o melhor blog do ano na categoria de Blogs Pessoais.

Continuando a sua digressão pela Bota da Europa, a Ana brindou-nos com mais 3 artigos excelentes, desta vez sobre Veneza (parte 1 e parte 2) e sobre como ver a diferença entre gondoleiros profissionais e gondoleiros amadores.

Antes ainda de terminar o mês, o Blog do Katano aderiu com toda a pujança ao movimento PILA para acabar com as árvores travesti no Natal e ainda testemunhámos e partilhámos com os leitores toda a beleza de um nevão na Serra da Gardunha.


Dezembro

Em Dezembro, mês em que o Blog alcançou a histórica marca de 50.000 page views, começámos por, como em 1640, espantar os espanhóis antes de irmos à Sé de Lisboa assistir a um grande espectáculo do Coro da AMVC.

Também partilhámos com os leitores uma forma simples de ganharem 1.500 euros, isto antes de revelarmos como um erro do famoso Heisenberg impediu que a Alemanha obtivesse uma bomba atómica antes dos EUA.

A imagem que fica do mês de Dezembro acaba por ser a fantástica esquiva do presidente cessante George W. Bush a um par de sapatos iraquianos antes de, continuando nas incompetências governativas, aqui termos denunciado a redundância inútil da declaração anual de IVA para os trabalhadores independentes.

O ano chegou finalmente ao seu termo com uma evocação da surpreendente capacidade que o cidadão comum português tem de aliar a imaginação ao ordenamento de superfície do parque automóvel, desde as bermas do IP4 às rotundas da Lousã.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...